Longe de casa e treinando para a Segunda Guerra Mundial, os recrutas usavam o humor e as cartas que recebiam e escreviam para lidar com os desafios que enfrentavam. Em uma carta, um jovem descreveu o processo de vacinação com admirável exagero: “Dois oficiais médicos nos caçaram com arpões, nos agarraram, nos pregaram ao chão e nos furaram os braços”.

No entanto, um soldado começou a perceber que o humor só lhe servia de apoio até certo ponto. Nessa altura, ele recebeu uma Bíblia. “Gostei muito e eu a leio toda as noites. Nunca imaginei que alguém poderia aprender tanto com ela”, escreveu.

Há muito tempo, os judeus voltaram para casa após anos de escravidão na Babilônia e descobriram que os seus problemas os acompanharam. Enquanto tentavam reconstruir os muros de Jerusalém, enfrentaram inimigos, fome e seu próprio pecado. Em meio aos problemas, se voltaram para a Palavra de Deus. Ficaram surpresos com o que aprenderam. Quando os sacerdotes liam o Livro da Lei de Deus, o povo chorava (v.9). No entanto, encontraram o consolo também. Neemias lhes disse: “Não fiquem tristes, pois a alegria do Senhor é sua força” (v.10).

Não precisamos esperar pelos problemas para ouvir a voz de Deus. Na Bíblia, aprendemos sobre Ele, Seu perdão e consolo. Lendo-a, seremos surpreendidos com o que o Espírito de Deus nos mostrará em suas páginas.